3 de ago de 2010

MANUAL DO MÉDICO.

Querida amiga,
Bom dia! Pra variar já é madrugada!
Mas, não consigo esperar amanhecer para postar aquilo que vejo, que recebo de outras amigas, que encontro por aí para você.
Achei muuuito interessante esse Manual do Médico que li apesar de ter algumas piadinhas que não concordo, mas pouca gente sabe disso.
Médicos humanos, coisas que os clientes precisam saber.

MANUAL DO MÉDICO

1- Médico dorme (IMPORTANTÍSSIMO). Pode parecer mentira. Não o acorde sem necessidade! Esqueça que ele tem telefone em casa, ligue para o consultório.
2- Médico come. Inacreditável, não? Mas é verdade!
3- Médico pode ter família. Essa é a mais incrível de todas: mesmo sendo médico, a pessoa precisa descansar no final de semana e precisa de um tempo com a família e amigos.
Pergunta: Nas situações acima o médico atende?
Resposta: Sim. Pode atender, desde que seja pago por isso.

Desnecessário dizer que, nesses casos, o atendimento tem custo adicional. Por favor, não pechinche. Ah, e cara feia na hora de assinar o cheque não diminui o que você tem que pagar. Poupe a sua cara feia para o cheque da boutique ou do cabeleireiro - muitas vezes maiores que o cheque para o médico. Se queria consulta mais barata, poderia ter procurado outro médico. O combinado não é caro. Ou não é verdade que saúde não tem preço?


Você deve estar se perguntando! O que esse brigadeiro tem a ver com médico? Nada!
É só para você adoçar um pouquinho a boca, assim você relaaaaxa e aí não fica consativo o que vai ler.
Mas... leia, gasta apenas 5 minutinhos do seu tempo.


4- Médico precisa de dinheiro. Por essa você não esperava, né? É surpreendente, mas médico também paga tudo aquilo que você reclama que anda subindo: impostos, alimentação, combustível, vestuário, etc. E uma coisa bizarra: os livros, o escritório e as coisas que ele tem não chegam até ele gratuitamente. Impressionante, não? Entendeu agora o motivo de ele cobrar uma consulta? É que medicina pode até ser sacerdócio (como alguns dizem), mas ao contrário dos padres não há paróquias sustentando os médicos e eles não fazem voto de pobreza e nem de castidade - sacou?
5- Ler, estudar é trabalho. E trabalho sério. Pode parar de rir. Não é piada.
6- Não é possível fazer consultas pelo telefone, apenas dar orientações. Médicos não gostam de tirar conclusões ao telefone para depois não serem acusados de que "erraram o diagnóstico". Você preza a sua própria reputação profissional, não?
7- De uma vez por todas, para reforçar: médico não é vidente. Ele precisa examinar o paciente e muitas vezes precisa reexaminá-lo!
8- Em reuniões de amigos ou festas de família, médico deixa de ser médico (Essa é muito importante também). Não comece conversas sobre suas dores, novos sintomas ou tratamentos em andamento. Para isso ele precisa refletir, se concentrar, ou seja, precisa trabalhar.
9- Doenças não são iguais. E isso tem que ser pensado e, por sua vez, cobrado.
10 - Quando você chamar um médico para atender em casa, pense no tempo que ele irá gastar na ida e na volta, e some ao tempo que ele ficará em sua casa lhe atendendo, e então talvez você possa entender que esse tipo de atendimento (onde ele se desloca e você não) deverá ser mesmo mais caro - talvez o dobro - do que uma consulta em consultório.

Diante desses tópicos inconcebíveis a uma boa parte da população, algumas dicas para tornar a vida do medico mais suportável:
a) O uso do celular: celular é ferramenta de trabalho. Por favor, ligue apenas quando necessário. Fora do horário de expediente, o médico pode estar fazendo alguma daquelas coisas que você pensou que ele não fazia, como dormir ou namorar, por exemplo.
b) Antes da consulta: por favor, marque hora. E, se você chegar de surpresa, não espere que o médico vá te colocar no horário de quem já marcou. Consultório não é lugar de urgências, hospital sim. Na próxima vez, ligue antes!
c) Repetir a mesma pergunta inúmeras vezes não vai mudar a resposta. Trata-se de uma consulta, não de uma investigação policial.
d) Quando se diz que o horário de atendimento é até meio-dia, não significa que você pode chegar às 11h55min. Se chegar, volte depois do almoço. O mesmo vale na hora do fim do expediente.
e) Emergência? Claro que o médico atende, mas se estiver fora do horário normal, o preço deste atendimento também não será o normal. Ou você é contra horas-extras e acréscimo por horário noturno quando é você o trabalhador?
f) Na hora da consulta: Por favor, deixe os amigos do cunhado e seus vizinhos com os respectivos filhos nas casas deles. (essa tb é importante hein)
g) Infelizmente, a cada consulta, o médico poderá examinar apenas um paciente lamentamos informar, mas seu parente também terá que passar por uma consulta e ele também terá que pagar. Ou quando um namorado compra dois cachorros-quentes para ele e a namorada, ambos pagam um só?
h) O médico não deixará de lhe cobrar só porque você já gastou demais no tratamento. Ele não tem culpa se os exames são caros, se o hospital é caro e se o reembolso do convênio é pouco.
A pergunta que não quer calar:
se saúde não tem preço...... por que a maioria das pessoas acha que a mensalidade do seu plano de saúde é cara?
A segunda pergunta inevitável:
Quando alguém está internado por dois meses no CTI de um hospital de alto custo bancado por um convênio, por acaso algum familiar do paciente busca saber o preço daquilo, faz as contas e conclui que a soma de todas as mensalidades que foram pagas ao convenio durante anos não chega nem perto do preço que o convenio pagará por aquele tratamento hospitalar? Não é verdade que a imensa maioria das pessoas prefere nem saber quanto custou um tratamento desses, sob a alegação de que, por mais caro que tenha sido, saúde não tem preço? Pois se quase ninguém se ocupa disso quando é o convênio que está pagando, por que então na hora em que um convênio questiona a realização de um exame, um dos inevitáveis argumentos usados pelo associado é o longo tempo que ele paga o convênio e o alto preço da mensalidade? Nesse momento saúde passa a ter preço?
A última pergunta:
Será que você vai continuar tendo o mesmo comportamento para com os médicos e pensando o mesmo dos honorários deles e do custo da medicina em geral depois que a vida lhe fizer pagar seis anos de faculdade de medicina para um filho seu e assisti-lo todo esse tempo tendo aulas em horário integral e às vezes até nas manhãs de sábado, ao lado de incontáveis plantões em maternidades, pronto-socorros, CTIs e ambulâncias como acadêmico sem nada receber além de experiência e ceifando diversos dos seus carnavais, feriados de Páscoa, noites de Natal e de Réveillon na melhor idade da vida, enquanto observa os colegas dele cursando faculdades de outras profissões em meio-período, estagiando de forma remunerada, jamais fazendo serão e se bronzeando na praia todos os fins-de-semana e feriados?
Pois é amiga, eu pago e já é o 4º ano!!!!!!! rsrsrsr

P.S.: Médico também vai ao banheiro, alguns bebem e às vezes até adoecem!

Tenha um BOM DIA!!!!
Share |

Um comentário:

alessandra disse...

Oi como vai espero que esteja tudo bem, vim fazer uma visita e ver como tudo anda
Venha me fazer uma também
WWW.vivendoartes-aleartes.blogsport.com
Até mais